segunda-feira, dezembro 29, 2014

Avião da AirAsia

letter to the pt president, to the pt state council, to judge president of curia

Exmos Senhores

Presidente da República portuguesa

Senhor Cavaco Silva

Senhores do conselho de estado

E ao Presidente juiz do tribunal criminal europeu

Senhor Jagaer

Cartas registadas com aviso de recepção

Lisboa, Dezembro 22, 2014
Exmos Senhores

Como é do vosso conhecimento, está o senhor acima mencionado, implicado em diversos crimes, não só contra mim e meu filho, mas contra a República Portuguesa e os cidadãos, e os comportamentos criminosos desde que assumiu funções são prova deste mesmo facto e afirmação, e tal é também a substância da queixa-crime contra si, por mim apresentada no tribunal criminal europeu.

Recordo-lhe que a seguir ao roubo de meu filho, salvo erro e de memória, visto que os mandantes deste crime tudo fazem para que eu não possa ter acesso a meus arquivos, sistematicamente roubando e adulterando as provas, em 2007, o tentei contactar no âmbito das suas funções, pedindo a intervenção no sentido de me garantir os meus direitos e os direitos de meu filho de acordo com o que a lei define nestas matérias.

E ao tempo, o que é uma constante neste crime, de novo aconteceu, negação da existência de envio de correspondência, arquivamentos sem despacho assinado, negação de explicações sobre tais criminosos factos, promessas não cumpridas por pessoal da sua casa civil em relação à prossecução do caso e sem posterior desenvolvimento, a não ser passado o igualmente constante período com que sempre pretendem escamotear e fazer esquecer na consciência de muitos a existência destes crimes e dos comportamentos criminosos, a demissão do na altura seu braço direito de muitos anos, que como afirmei, pelos argumentos também veiculados na opinião pública na altura, não me deixou de parecer estar, também relacionado com este crime na presidência da República portuguesa, ou seja ainda, o que parece ter sido um sacrifício, com a agravante, de nunca ter corrigido posteriormente o crime, e do que tal acto também demonstra do seu carácter e da sua postura política, ao que acresço recordando que esta demissão do na altura chefe da sua casa civil, por outros elementos analisados e publicados na altura pode ter tido ainda a ver com algumas tragédias na Grécia, nomeadamente, uma sequência de quedas de aviões da Hélio, e dos incêndios de verão.

Todos os detalhes destes factos foram escritos e publicados ao seu tempo no meu blogue ourosobreazul.blogspot.pt. 

Recordo-lhe como amplamente provado pelos factos, a existência de motivações criminais de sua parte, nomeadamente no roubo ao longo destes anos de discursos políticos que nas vezes vai até à cópia protagonizada pelo senhor, nomeadamente em discursos e intervenções televisivas, dos gestos e posturas com que os interpreto.

E lhe recordo de até terem surgido notícias nos jornais de que o senhor era incapaz de escrever os seus próprios discursos e que era sua mulher que o fazia, mas o que se deve esperar de um homem que quando foi eleito secretário-geral do PSD na Figueira da Foz, posteriormente o justificou em termos públicos, dizendo que só tinha ido ao congresso para mudar o óleo ao carro ou para lhe fazer a rodagem, ainda por cima, com todas as constantes tentativas de construção de paralelos invertidos como detectados e explicados a seu tempo, que comigo tenta estabelecer, ao longo do tempo deste crime de roubo de meu filho e de muitos outros.

E lhe recordo ainda que ao tempo da sua primeira eleição como presidente, terem surgido suspeitas públicas de crime de manipulação de resultados, à imagem da mesma queixa feita pelos equivalentes socialistas americanos aquando da eleição do presidente Bush, ou seja ainda, indiciando a eventual presença de métodos semelhantes partilhados por casas politicas semelhantes, e que no caso português um homem que denunciou estas manipulações, foi na altura morto em forma suspeita e que como useiro as investigações foram cobertas, com a agravante de que crimes de manipulação eleitoral, trás Portugal um pesado histórico ao longo das décadas deste regime, como amplamente provado por numerosos factos, nomeadamente o momento em que os cadernos eleitorais tinham segundo informação da altura setecentos mil votantes fantasmas, numero que percentualmente em relação ao universo do votantes não é despiciendo como o sabeis.

Ou da segunda, em que o senhor foi eleito por um número reduzidíssimo de votos, numa abstenção que se tem sempre tornado crescente expressando claramente o repúdio das gentes deste país aos governantes e modelos de governar, e que como a todos disse recordando nesse momento, levaria um homem de princípios e respeito pela Republica, pelo estado de direito e pela lei, a nunca aceitar ser presidente nessas condições, mas o senhor à imagem de todos os outros sem excepção, demonstrou também nesse momento, que o que vos importa mais que tudo é o exercício do poder e o pervertido uso que em constância deles fazeis, sem peias em perverter assim a regra fundamental da democracia e da representação da maioria, mesmo que entendida como simples, por no mínimo aquilo que se pode considerar como uma auto autocrático e a implementação de uma autocracia, termos que são da família dos regimes ditatoriais, fascistas e nazis.

Mas de si como cidadão não seria de esperar uma outra atitude, como sabe em tempo recente reemergiu de novo os anos de 95/96 no âmbito da análise de um conjunto vasto de tragédias pelo mundo fora, onde se inclui entre outras a queda das torres em NY, e no âmbito da análise da um número da revista Visão relativo ao ano de eleições de 96, a memória, na altura narrada nas televisões de um colega seu de escola primária que deu de si nesse momento a todos o retracto do homem que é, como um sádico com a agravante de ser na sua infância também chefe e mandante de actos sádicos. 

Talvez esta faceta mais profunda de seu carácter possa explicar pelo menos em primeiro grau, a sua participação activa nos crimes de continua devassa que contra mim levantam desde décadas e muito principalmente desde o roubo de meu filho como também estratégia da manutenção do crime, como provado no caso a que chamei da cadeira de design e dos filmes pornos, neste caso com sua própria mulher, que configuram crimes contra os direitos humanos e da pessoa, de espionagem ilegal e roubo, integrando nas vezes processos de tortura, que podem ainda nas vezes, serem processos parte integrante de actos de terror de larga escala como a todos explicado em detalhe ao longo dos anos, nomeadamente por pré intenções e motivos de criação de AB reacções, ou ABC reacções, e assunto mundial ao que parece muito em voga se atender como tenho a todos explicado, o protagonismo de muitos políticos do mundo e até do papa as vezes até com repercussões em cenários de guerra como Israel e Palestina.

Pois, até outros graus de intenção, natureza e dano criminoso, se escondem por detrás deste primeiro tantas vezes tentado apresentar aos olhos de segundos e terceiro como se de brincadeiras pueris se tratassem, pois crimes bem mais gravosos se escondem e desvelam nestas estratégias da manutenção do roubo de meu filho, como a escravatura que visa o roubo constante de biliões, não só meus, isto é gerados por mim, como também do erário publico, contínuas tentativas de incriminação de tudo e de nada, contínuos actos criminosos de abuso de poder, que sempre desvelam a arrogância e a prepotência de quem os ordena e faz, e que são inclusive crimes em algumas das suas facetas contra a Republica, a lei e o estado de direito, contínuos atentados a minha saúde e vida, e todo um conjunto contínuo de actos de puro sadismo como parte integrante do que criminalmente se tipifica como crime de tortura, que integra ainda roubos inclusive de desenhos de meu filho aqui de minha casa e destruição de todo o tipo de propriedade, como a todos tenho vindo a provar exaustivamente ao longo dos dias dos anos em que dura este crime contra mim, meu filho e muitos mais, acompanhado sempre pela mais simples das deduções, até por razões de o senhor viver aqui na proximidade de onde me encontro e de ter sempre uma segurança própria, como seria impossível o senhor não conhecer, participar, ou cobrir, estes actos. 

Como dizia recentemente num beijo público à menina Mariana Monteiro e à Senhora Hillary Clinton, o problema é sempre consonante com a natureza humana, que leva os homens sempre a se agruparem por afinidades, que em sociedades de pouca cultura e consequentemente de tendência e prática autocráticas, sempre se agrupam ao redor de um chefe e assim as características de quem personifica esse cargo e que o dano é proporcional aos poderes que lhe estão atribuídos pelas funções que carreia na Republica.

Ou ainda, à luz da recente demissão do ministro Miguel Macedo com aparente ou em parte responsabilidade sobre as secretas portuguesas e dizendo que se demitia mas que a responsabilidade não era dele, num contexto onde a imagem complementava outras bem mais negras linhas, como a eventual queda de shuttles ou mesmo de sondas e detalhes de leituras no MNE, também protagonizadas pelo senhor em fotografias recentes no Sapo como comentado na atura, me levou à seguinte questão, mas então quem tem a responsabilidade na secretas será uma das questões a colocar, e pela orgânica da Republica, tal função cabe ao senhor, ou seja ainda, deduz-se que a responsabilidade, ou pelo menos, uma certa responsabilidade lhe será atribuída, a questão como sempre, é, sobre exactamente que assunto, assuntos ou mesmo tragédias, mas o que se pode esperar de uma República onde os crimes e os criminosos reinam impunemente e relembrando que outros assuntos se encontravam e encontram na mesa ao tempo desta demissão, como os relativos à análise dos painéis e das diversas desgraças que contam em termos mundiais, incluindo Maddie, e os jovens mortos aparecidos no Meco, e ainda mais umas erupções, Japão, Singapura, Cabo Verde com charutos à mistura, que não é só uma imagem de Cuba, como também de um dos seus correligionários partidários, Alberto João Jardim. 

E ainda relativo ao crime que mantem contra mim, imediatamente anterior à demissão do ministro de novo roubo de diversos documentos e adulterações, que são peças das minhas investigações e provas deste mesmo crime e muitos outros, e a recorrente sempre questão e mais do que questão, facto criminoso, de que nem as queixas me são garantidas nesta Republica, nem os direitos e as protecções que me são devidas como cidadão pelas leis. 

É um facto que neste crime contra mim e meu filho e muitos mais, se encontram roubos avultadíssimos, que são motivação e prepósito criminoso, e que tem desaguado não só em Portugal como em diversos lugares do mundo e portanto é de deduzir também a existência de um eventual interesse económico da sua parte na manutenção deste crime contra mim, meu filho, e muitos mais.

E crimes económicos, de corrupção, e favorecimento também contra os cidadãos desta República, é o que senhor tem constante cobrido no âmbito das suas funções de estado, como o crime ficcionado e a ficção criminosa da dívida pública claramente o demonstrou, pois não garantiu o senhor nem o que seria básico de esperar, que os governos na sua égide respeitassem a lei e especificamente as decisões neste caso do tribunal Constitucional.  

Só de memória, me recordo do seu perfil e crimes neste domínio, ou por esta motivação, a económica, como por exemplo quando era primeiro-ministro, do negócio com o coronel da Lusomundo que incluiu a venda do edifício sede do DN, órgão de informação sempre envolvido nesta conjura, como o expus na altura em que estes factos se passaram.

Ou ainda já quando presidente, dos seus negócios pessoais com acções, que pelo que se tornou público nessa altura, reforçou a consciência do seu envolvimento neste crime, um crime recorrente em Portugal, transversal a toda a classe politica e não só, nomeadamente através das empresas públicas. 

Ou ainda depois de assumir as mesmas funções, o facto da nomeação do seu genro como cabeça de uma rádio pública, Antena 3, e que desde há décadas é suportado e muito bem pela indústria discográfica e de entretimento americana nomeadamente através dos festivais que organiza, um dos quais eu escolhi e aconselhei antes mesmo de ele lá existir, crime este, o da nomeação, que mostra o compadrio e favorecimento que tem pautado toda a classe politica sem excepção ao longo deste regime e que se constitui como crime contra o estado de direito e a república portuguesa.

E ao escrever estes exemplos de factos criminosos no domínio económico e do dinheiro, me veio à memória um outro que dei conta já há muitos anos no meu livro da vida, de ter sido numa das rádios do seu genro que dei uma entrevista sobre a situação do mundo poucos meses antes da queda das torres em NY, e que como posteriormente analisado me pareceu depois ser também como um grito de alerta, e este facto e memoria, aparece ao conscientizar que efectivamente o senhor tem sido uma espécie de constante porta com a América, que como bem sabe é um dos países mundiais onde muitos roubos à minha pessoa tem acontecido ao longo da minha vida e em particular neste últimos anos na vertente de escravatura que este crime contra mim e meu filho também é, e ainda que é também no domínio das discográficas e da Universal, e de uma edição pirata que uma morte se deu, sem até ao momento ter conhecimento de quem por ela foi responsabilizada.

Outros factos que ocorreram até a data durante o seu mandato, como amplamente explicado e demonstrado, provam igualmente, por um lado, o seu conhecimento do crime que ocorre contra mim e meu filho desde que o roubaram, bem como a sua activa participação na manutenção do mesmo e no que à primeira vista se apresenta ainda como plausível de indiciar a sua participação em actos de terrorismo internacional, e ao mesmo tempo, crimes de perseguição contra minha pessoa, bem como o mando de assassinatos em Portugal como numa sequência de factos na altura o provei.  

Recordo que na altura desta nova ilusão e antes mesmo da demissão do ministro com responsabilidade nas secretas, primeiro apareceu uma linha com um outro ministro da educação Nuno Crato, em torno da fórmula, ao tempo em que de novo abordava estes aspectos enquadrados na questão da conspiração mundial e dos planos de nova ordem, ao mesmo tempo que ia produzindo e publicando endereçado ao tribunal criminal europeu, a sequência a que venho a chamar de, inquérito público criminal, e que no meio de todo este crescendo, algumas das provas foram de novo adulteradas, nomeadamente vídeos, e que na sequência que sabeis de antemão que seria expectável, estava de novo a reflectir sobre os crimes no centro oficial da comunidade europeias e de uma matança na altura, de um conjunto de jovens socialistas numa ilha na Noruega, ou seja mais uma vez o mesmo padrão de sempre, onde muitas destas questões das adulterações não deixaram de ser espelhadas nos médias em formas aparentemente metafóricas, recordando neste exemplo, uma notícia protagonizada pela Juíza Presidente da AR, e por um advogado. 

E verdadeira e sustentada é a afirmação, que todas as forças políticas desse país trazem um pacto de silêncio em relação a este crime, e o constante, transversal e criminoso silêncio que tem sido igualmente perfilhado por quem representa outras instituições da República, incluindo as judiciais, sem nenhuma excepção até esta data, de igual modo o confirma, e levanta questões charneiras que ao longo dos anos a todos tenho endereçado. 

Que grandes crimes, que motivações criminosas, se movem por detrás deste criminoso agir, que criminosos objectivos almejam, quem, com tanto criminoso afinco todos protegem ao longo de quase uma década, ao arrepio sistemático das liberdades e garantias das Leis e da Constituição da Republica e dos básicos direitos humanos, num constante crime que prefigura antes de mais um contínuo atentado à República e ao estado de direito em si mesmo. 

E, que este crime de roubo do meu filho, acorreu após o Tsunami de 2005, que muitos factos apontam que os senhores, de mim e dele pretenderam nesse tempo nos tornar bodes expiatórios, bem como de muitos outros crimes, através da prossecução de outros crimes, contra outros direitos e garantias que as leis garantem aos cidadãos e como estratégia de manutenção do roubo de meu filho, de crimes de roubos de diversa natureza, como propriedade intelectual, no âmbito de um crime maior de esclavagismo, no qual a tortura e múltiplas tentativas de assassinato têm sido constantes.

Outro dos crimes que desde sempre também me tentaram fazer de bode expiatório como amplamente provado foi a queda das torres, ao que somado com o descrito alguns parágrafos acima, parece dar corpo a estratégia de escravatura e de roubo que tem sido parte integrantes deste crime contra mim e meu filho e muitos mais.

Relembro que este crime que mantêm contra mim, meu filho e muitos mais, não é só excepcional pela natureza dos constantes factos criminosos, mas também se constitui como crime contra a República portuguesa, contra a lei fundamental, a Constituição, contra o estado de direito de Portugal e contra os básicos direitos humanos consagrados nas leis, como o direito de queixa e o direito de defesa, neste caso de uma criança menor, meu filho, de mim mesmo, e de muitos mais, alguns dos quais não mais se podem defender, porque foram no entretanto mortos.

Da mesma forma como já dei conta ao tribunal criminal europeu, só num período aproximado de um ano, apresentei em forma pública, muitas das quais enviadas as respectivas entidades oficiais nacionais, como a Procuradoria-Geral da republica, cerca de setenta queixas de natureza criminal, sobre as quais em sua maioria, nunca obtive nenhuma resposta, e esta situação se arrasta desde o roubo de meu filho, provando a corrupção que reina em muitos níveis do estado português e da sua participação como primeiro-ministro na negação do direito fundamental de queixa e consequentemente de uma forma ou outra na cobertura dos criminosos por detrás destes crimes.  

Da mesma forma recordo-lhe que continuo a aguardar resposta sobre o crime de perseguição e dano contra mim cometido de internamento compulsório no hospital psiquiátrico Júlio de Matos, sobre o qual também apresentei queixa ao respectivo tribunal envolvido, ao ministro da saúde, à Procuradoria-Geral da republica e ao tribunal criminal europeu, onde para além do crime contra mim cometido, dou conta de uma eventual morte que no hospital presenciei e sobre a qual pedi um inquérito pelos factos narrados.

Exijo-lhe a si e ao Conselho de Estado as respostas que me são devidas pelas leis a mim e meu filho e peço a sua imediata demissão e prisão, por envolvimento no crime de roubo rapto e tortura contra meu filho e mim, por envolvimento na tentativa constante de me assassinarem, por envolvimento em crime de tortura, por envolvimento no crime de escravatura, por participação em constantes crime de perseguição e abuso de poder, por crimes de roubos de diversa ordem e natureza que contra mim acontecem neste país e não só no âmbito deste crime nuclear, e por suspeitas já apresentadas de participação em actos de terrorismo internacional e em mortes de individuais.

Que gente sois, que se mantem num absoluto e criminoso silêncio ao longo de todos estes anos que dura este crime contra uma criança menor e contra um pai e só esta frase diz tudo sobre a vossa qualidade humana que sempre é determinante nos que os homens fazem ou não fazem, como são e como actuam.

Como sabe, se estou ainda vivo, tal se deve entre outras razões, à caridade de meus pais, e por falta de meios económicos, agradecia que apresentasse esta missiva ao conselho de estado, pois contra os seus membros, de igual modo apresento queixa nas tipificações gerais dos crimes descritos nesta carta, nomeadamente no constante crime que em forma colectiva sempre vindes a praticar, contra o estado de direito, a democracia e a República portuguesa.

Se como habitual neste crime, se mantiver a sistemática ausência de resposta que tenho tido por parte de todas as entidades do estado e do governo português, mais uma vez assim fará prova perante todos e perante o tribunal criminal europeu da sua participação neste crime contra o estado de Portugal e contra dois cidadãos, meu filho e eu, e muitos outros, muitos dos quais, mortos no entretanto, sem mais aqui se encontrarem para se poderem queixar ou defender.

Com os meus cumprimentos

Paulo forte
  


Kahil Gibran , broken wings, readings,

861 M 29 12 2014 public criminal to curia, part twelve


860 M 26 12 2014 new recent up dates on the criminal accusation against the church of Rome


859 M 24 12 2014 an american kiss, must i presume, continuation, monkeys, coffee, pope and others 2


858 M 26 12 2014, some complementary aspects on the figures, giraffe approached on video 853 M 24 12


857 E 24 12 2014, to curia and to all, about the simulacrum of justice around Socrates and Bes


some of the figures mentioned in last video, about animist and religious primitives gravures





quarta-feira, dezembro 24, 2014

853 M 24 12 2014 about the panels figures and the giraffe id


852 M 23 12 2014 to curia and to all


letter to the portuguese prime minister and to the judge president of the european criminal court

Exmos Senhores

Primeiro-ministro do governo de Portugal
Senhor Pedro Passos Coelho

E ao Presidente juiz do tribunal criminal europeu
Senhor Jagaer

Cartas registadas com aviso de recepção

Lisboa, Dezembro 22 12 2014

Exmos Senhores

Como é do vosso conhecimento, está o senhor acima mencionado, implicado em diversos crimes, não só contra mim e meu filho, mas contra a Republica Portuguesa e os cidadãos, e o constante comportamento criminoso desde que assumiu funções de Primeiro-ministro, é a prova deste mesmo facto e afirmação.

Recordo-lhe que a seguir a ter tomado posse no cargo que desempenha o tentei contactar no seguimento do crime que ocorre contra mim, meu filho e muitos mais, enviando-lhe ao tempo, uma carta registada com aviso de recepção que a todos em forma publica mostrei bem e que é parte integrante da minha acusação criminal nomeadamente contra o senhor, já enviada ao tribunal criminal europeu.

Da mesma forma que a semelhantes contactos com o anterior gabinete do ex-primeiro ministro José Sócrates, até à esta data não recebi nenhuma resposta, o que prova pelo silêncio o seu envolvimento neste crime.

E que na ausência da sua resposta à data, lhe enviei segunda missiva com queixa-crime contra o senhor, igualmente tornada pública, onde entre outros factos, lhe provo e provo a todos que logo a ter assumido suas funções, o senhor se mostrou como sendo um mentiroso e da pior espécie, como o caso dos bilhetes de avião na sua primeira viagem de beija-mão à europa pelos factos do conhecimento publico a todos na altura demonstrou.

Outros factos que ocorreram até a data durante o seu mandato, como amplamente explicado e demonstrado provam igualmente, por um lado, o seu conhecimento do crime que ocorre contra mim e meu filho desde que o roubaram, bem como a sua activa participação na manutenção do mesmo e no que à primeira vista se apresenta, como plausível de indiciar a sua participação em actos de terrorismo internacional, e ao mesmo tempo, crimes de perseguição contra minha pessoa.

Pois verdadeira e sustentada é a afirmação que todas as forças políticas desse país trazem um pacto de silêncio em relação a este crime, e o constante, transversal e criminoso silêncio que tem sido igualmente perfilhado por quem representa outras instituições da República, incluindo as judiciais, sem nenhuma excepção até esta data, de igual modo o confirma, e levanta questões charneiras que ao longo dos anos a todos tenho endereçado.

Que grandes crimes, que motivações criminosas, se movem por detrás deste criminoso agir, que criminosos objectivos almejam, quem com tanto criminoso afinco todos protegem ao longo de quase uma década, ao arrepio sistemático das liberdades e garantias das Leis e da Constituição da Republica e dos básicos direitos humanos, num constante crime que prefigura antes de mais um contínuo atentado à Republica e ao estado de direito em si mesmo, e que este crime de roubo do meu filho, acorreu após o tsunami de 2005, e que muitos outros factos apontam que os senhores, de mim e dele pretenderam nesse tempo, nos tornar bodes expiatórios desse crime, bem como de muitos outros, e através da pratica de muitos outros crimes contra outros direitos e garantias que as leis garantem aos cidadãos, como estratégia de manutenção do roubo de meu filho, e dos crimes de roubos de diversa tipificação criminal e escravatura.

De igual modo verdadeira e sustentada a afirmação e amplamente provado pelos actos criminosos do seu governo, que este crime basilar, é real, como o demonstra o crime de roubo económico que haveis feito e continuais a fazer contra os cidadão desta República, nomeadamente sobre o criminoso pretexto da existência de uma dívida pública que ninguém ao certo nesta República sabe qual, a quem, que parcelas a constituem, e mais importante como foram criadas e quem por elas foi, se foram, alguma vez criminalmente, por elas responsabilizada, o que indicia em muitos factos o vosso próprio directo ou indirecto envolvimento, cobertura e branqueamento destes crimes e destes criminosos, recordando, que igualmente como amplamente provado, até crimes de morte tem ocorrido, ao redor deste crime e desta fantasia criminosa nele montado.

Aqui lhe recordo também à laia de exemplo, as suas sempre, como de costume ao longo dos anos, insinuações e meios dizeres, nomeadamente sobre os atentados em Londres, na altura do crime de perseguição montado no acto de apreensão da minha carta de condução

Ou ainda, à imagem e semelhança do anterior primeiro-ministro, as diversas e constantes apropriações das minhas reflexões escritas e oradas sobre matérias politicas, que são enquadráveis como crimes, nomeadamente de roubo intelectual e até de imagem, e demonstram a sua motivação criminosa na manutenção e perpetuação deste crime contra mim, meu filho, e por extensão contra muitos mais.

Relembro que este crime que mantêm contra mim, meu filho e muitos mais, não é só excepcional pela natureza dos constantes factos criminosos, mas também se constitui como crime contra a República portuguesa, contra a lei fundamental, a Constituição, contra o estado de direito de Portugal e contra os básicos direitos humanos consagrados nas leis, como o direito de queixa e o direito de defesa, neste caso de uma criança menor, meu filho, de mim mesmo, e de muitos mais, alguns dos quais não mais se podem defender, porque foram no entretanto mortos.

Como saberá ao mesmo tempo da demissão do ministro Miguel Macedo num aparente ou não caso com as secretas portuguesas, mais uma vez, muitos dos elementos da minha acusação foram roubados como tem sido regularmente ao longo destes anos sem que nenhuma das garantias por lei que o estado tem face aos cidadãos me fosse alguma vez cumprida ou accionada como espectável num estado de direito e numa república.

Recordo em breve que esta sequência de eventos ao tempo da demissão do ministro acima citado Nuno Crato sobre o véu dos cálculos e dos erros numa formula apresentada como para contratar professores, mas obviamente como o demonstrei com muitos outros significados, ao mesmo tempo que de minha casa me roubavam de novo um dos desenhos de meu filho, uma das poucas memorias que dele trago.

Da mesma forma como já dei conta ao tribunal criminal europeu, só num período aproximado de um ano, apresentei em forma publica, muitas das quais enviadas as respectivas entidades oficiais nacionais, como a Procuradoria-Geral da republica, cerca de setenta queixas de natureza criminal, sobre as quais em sua maioria, nunca obtive nenhuma resposta, e esta situação se arrasta desde o roubo de meu filho, provando a corrupção que reina em muitos níveis do estado português e da sua participação como primeiro-ministro na negação do direito fundamental de queixa e consequentemente de uma forma ou outra na cobertura dos criminosos por detrás destes crimes.

Da mesma forma recordo-lhe que continuo a aguardar resposta sobre o crime de perseguição e dano contra mim cometido de internamento compulsório no hospital psiquiátrico Júlio de Matos, sobre o qual também apresentei queixa ao respectivo tribunal envolvido, ao ministro da saúde, à Procuradoria-Geral da republica e ao tribunal criminal europeu, onde para além do crime contra mim cometido, dou conta de uma eventual morte que no hospital presenciei e sobre a qual pedi um inquérito pelos factos narrados.

Exijo-lhe as respostas que me são devidas pelas leis a mim e meu filho e peço a sua imediata demissão e prisão, por envolvimento no crime de roubo rapto e tortura contra meu filho e mim, por envolvimento na tentativa constante de me assassinarem, por envolvimento em crime de tortura, por envolvimento no crime de escravatura, por participação em constantes crime de perseguição e abuso de poder, por crimes de roubos de diversa ordem e natureza que contra mim acontecem neste país e não só no âmbito deste crime nuclear, e por suspeitas já apresentadas de participação em actos de terrorismo internacional e em mortes de individuais.

Se como habitual neste crime, se mantiver a sistemática ausência de resposta que tenho tido por parte de todas as entidades do estado e do governo português, mais uma vez assim fará prova perante todos e perante o tribunal criminal europeu da sua participação neste crime contra o estado de Portugal e contra dois cidadãos, meu filho e eu e muitos outros mais.

Com os meus cumprimentos



Paulo forte

terça-feira, dezembro 23, 2014

letter to the Portuguese justice minister and to the president of the European criminal court

Exmos Senhores

Ministra da Justiça do governo de Portugal
Senhora Paula Teixeira da Silva

E ao Presidente juiz do tribunal criminal europeu
Senhor Jagaer

Cartas registadas com aviso de recepção

Lisboa, Dezembro 22 12 2014

Exª Senhora e Senhora,

Como é do vosso conhecimento, está a senhora acima mencionada implicada em diversos crimes, não só contra mim e meu filho, como igualmente contra a Republica Portuguesa, e o constante comportamento criminoso desde que assumiu funções de ministra de justiça, é a prova deste mesmo facto e afirmação.

Recordo-lhe que a seguir a ter tomado posse no cargo que desempenha, a tentei contactar enviando-lhe ao tempo carta registada com aviso de recepção, que a todos em forma publica mostrei e que é parte integrante da minha acusação criminal.

Recebi na altura uma carta do seu gabinete assinada se bem me lembro de memória, visto que como sabe, os criminosos tudo tem feito em constância ao longo dos tempos para obstaculizar o acesso aos meus arquivos, por uma assessora de substituição de um outro seu assessor ou chefe de gabinete, onde se escudou na invocação do princípio geral da lei que não cabe ao ministro da justiça a intervenção directa em qualquer tipo de processo.

Ao qual eu de novo respondi, relembrando que este crime que mantem contra mim, meu filho e muitos mais, não é só excepcional pela natureza dos constantes factos criminosos, como é nomeadamente um crime contra a republica portuguesa, contra a lei fundamental, a Constituição, contra o estado de direito de Portugal e contra os básicos direitos humanos consagrados nas leis, como o direito de queixa e o direito de defesa, neste caso de uma criança menor, meu filho, de mim mesmo, e de muitos mais, alguns dos quais não mais se podem defender, porque alguns, muitos, foram no entretanto mortos.

Esta minha resposta à data, enviada por correio electrónico com anexo de um vídeo com um depoimento sobre estas matérias para o seu gabinete dirigida a quem respondeu à minha carta, nunca obteve nenhuma resposta.

E recordo-lhe o que na altura igualmente comentei em forma pública, que logo de seguida no tempo, um título de jornal, lhe atribuiu o dizer, que tinha pedido todo o processo relativo a um caso de justiça, a morte do jovem actor Angélico, que como sabe se inscreve numa sequência de mortes relacionadas com actores e em particular da TVI ou com ela trabalhando. Esta declaração a si atribuída não foi na altura desmentida nem por si nem por seu gabinete, fazendo assim prova perante todos, de ser uma pessoa que tem dois pesos e duas medidas, característica e acção incompatível com a função que desempenha.

Como saberá ao mesmo tempo da demissão do ministro Miguel Macedo, num aparente ou não caso com as secretas portuguesas, mais uma vez muitos dos elementos da minha acusação foram roubados como tem sido regularmente ao longo destes anos sem que nenhuma das garantias que por lei o estado deve fazer cumprir na relação com os cidadãos da republica, me foi alguma vez cumprida ou accionada como espectável num estado de direito e numa república.

Recordo em breve que esta sequência de eventos ao tempo da demissão do ministro acima citado, um homem que consigo protagonizou estranhas notícias numa qualquer comissão de inquérito de AR há alguns anos atrás na altura publicadas no DN e antes da senhora assumir funções de ministra, passou ainda por um outro ministro, Nuno Crato, sobre o véu dos cálculos e dos erros numa formula, apresentada como para contractar professores, mas obviamente como o demonstrei ao tempo em análise detalhada, com muitos outros significados, tudo isto ao mesmo tempo em que de novo em minha casa me roubavam um dos desenhos de meu filho, uma das poucas memorias que dele trago.

Da mesma forma como já dei conta ao tribunal criminal europeu, só num período aproximado de um ano, apresentei em forma pública, muitas das quais enviadas as respectivas entidades oficiais nacionais, como a Procuradoria-Geral da republica, cerca de setenta queixas de natureza criminal, sobre as quais em sua maioria, nunca obtive nenhuma resposta, e esta situação se arrasta desde o roubo de meu filho, provando a corrupção que reina em muitos níveis do estado português e da sua participação como ministra da justiça na negação do direito fundamental de queixa e consequentemente de uma forma ou outra na cobertura dos criminosos por detrás destes crimes.

Da mesma forma recordo-lhe que continuo a aguardar resposta sobre o crime de perseguição e dano contra mim cometido de internamento compulsório no hospital psiquiátrico Júlio de Matos, sobre o qual também apresentei queixa ao respectivo tribunal envolvido, ao ministro da saúde, à Procuradoria-Geral da republica e ao tribunal criminal europeu, onde para além do crime contra mim cometido, dou conta de uma eventual morte que no hospital presenciei e sobre a qual pedi um inquérito pelos factos narrados.

Exijo-lhe as respostas que me são devidas pelas leis a mim e meu filho e peço a sua imediata demissão e prisão, por envolvimento no crime de roubo rapto e tortura contra meu filho e mim, por envolvimento na tentativa constante de me assassinarem, por envolvimento no crime de escravatura, por participação em constantes crime de perseguição e abuso de poder, por crimes de roubos de diversa ordem e natureza que contra mim acontecem neste país e não só, no âmbito deste crime nuclear, e por suspeitas já apresentadas de participação em actos de terrorismo internacional e em mortes de individuais, recordando ter apresentado em forma pública contra si, suspeitas de envolvimento na morte de uma criança de nome Rafaela, como à data a todos o expliquei.

Se como habitual neste crime, se mantiver a sistemática ausência de resposta que tenho tido por parte de todas as entidades do estado e do governo português, mais uma vez assim fará prova perante todos e perante o tribunal criminal europeu da sua participação neste crime contra o estado de Portugal e contra dois cidadãos, meu filho e eu.

Com os meus cumprimentos

Paulo forte




segunda-feira, dezembro 22, 2014

851 M 22 12 2014


850 M 21 12 2014


849 M 21 12 2014 prove of the adulteration on previous video



this take more of less with five minutes, is the original one. As all can confirm in the previous video, they re edit cutting a part on this take and others, that are important to a clear comprehension of this important line, who get at the end the bean or Fava, that was also acted by both american couples in one of the last 9 111 memory days as accounted at time 

quarta-feira, dezembro 17, 2014

848 M 17 12 2014 complementary aspects and details on kiss sequence, part ll




at the end a pearl to NY, the giraffe and the monkey as satyr and what seems be a logical relation concerning they position on the japoneses panels

847 M 16 12 2014 complementary aspects and details on some parts of my last kiss sequence that are integrate part of my criminal accusation present to Curia



1. as the court can understand and will be explained in detail in next videos, this video 847 M 16 12 2014 is published after the 845 M 12 12 2014, because yesterday the terrorists had erase from my pc by remote control, the 846 M.

just now at the beginning of the afternoon, i enter a coffee and I see the news, CM TV, about a fact present on this perverted metaphor that is going on under the umbrella of Socrates arrest, that the Orders lawyer. had succeed to impeach that the process came to public domain, and i ´m asking if i must understand this metaphor as real image of this new and constant crime of impeachment, robber and adulteration

segunda-feira, dezembro 15, 2014

just continuing kiss you, clooney, largo da anunciada, DC yellow doors sub lines, the inverted water vases wall and other matters


an apparently or not echo on the kiss to Marguerite Y and a detail on NY towers fall


1.
I call the attention to the European criminal court, that the kiss to Marguerite Yourcenar, seems had a echo here at Costa street in Alcantara, Saturday, after heavy rains of the Friday night, when descending the street, there whore a policeman on the entrance of the 68 number, and some workers apparently closing  a hole in the road. 

Costa mean also Antonio Costa, and socialists, and Ak 47 sub lines well explained on book of life

curioso pormenor, pois as pedras do lançil do passeio, estava desenhando uma perfeita ponte, uma especifica ponte recentemente de novo citada no ambito do novo crime atraves das finanças de Montalegre e Vila Real, o inexistente Morris, a ponte de Mizarela, tambem conhecida como a ponte do Diabo, um nome que tem algumas ressonâncias ao longo dos anos no meu livro da vida, como grupo do jornal e da extrema direita. deverá o tribunal verificar se este buraco e o pormenor, visivel durante os trabalhos é real ou se foi constuido para reforçar esta leitura. digo isto, poits tambem o video kiss a Marguerite Y, tem o meso numero 168 , neste caso MB, como cumulativamente dizendo o primeiro de 68, uma referencia especifica a frança e a cohen bendit, como explicado no passado, provavelmente o numero que corresponde ao tamanho desse video, foi igualmente preparado para que apaerce essa mesma informação, ou seja, não é displicente a possibilidade de estarmos de novo perante uma encenação, como um propósito criminoso, comum, o de incriminar alguem.      

2.

under two images  of the same one, the Siemens advertising on Visão magazine 96, a already well matter explained in previous analyzes that had as commented the recent and posterior line act by the minister Pires de Lima with another pub on the same announce, the TAP privatization, and the 727, (that is not visible in these photos, but already show in the two videos that contain the Visão detail analyze, already published), and after the illegal spying of this two frames. also i as stated in recent video, what seems important of the image that is not see on these two, but in the video with almost all the pages on Visão 96, is the TAP symbol.

the other main aspect is that this figure have the same elements of one he figures that appeared on the fall of NY towers, the one that i had call, the monster or hulk, the figure where we see a hand and a egg rock. in this photos from Visao 96, two more senses if correspond to the truth can be added, the egg , rock as a ball, basketball, and the existence of another figure associated with the monster.



sexta-feira, dezembro 12, 2014



George Clooney movie, Drew Barrymore, Julia Roberts; the 3:10 train to Yuma, NBA  Obama and me image, a detail on TAP Visão , Pires de Lima minister crecent image mambo jambo,  the sex pass, the traces on the sky, the navy military one, Hillary kiss, reflexes, Nicole, Kate Winslet , serene

843 M 11 12 2014 kiss , illusions, crimes and justice or her absence


841 M 11 12 2014, to curia and to all, medias illusion, NY, Cabo Verde, London, financial crimes


the reception invoice receive from PT public attorney concerning my last present criminal complaint

quarta-feira, dezembro 10, 2014

842 M 07 12 2014 to curia and to all, a kiss to Margerite Yourcenar and others, and a detail of one of NY towers figure


today comments and crimes report

0.


Again the unknown criminals that enter my house, have made some changes of the programs of video in my old PC, the one that still working after all these recent attacks, and the video above, ref: " 842 M 07 12 2014  to Margerite Yourcenar, Medusa, octopus, giraffe figures at 911, volcano at Cabo Verde , Socrates bandit and a older lecture of the underground, London crimes", have some problems on audio, was the best recover solution at least that allow peoples to understand it, this video have an important detail concerning the fall of the towers at NY in the end, the object that in a certain reflect one of the figures visible on the dust on the fall, the Medusa, octopus and more recent giraffe as I have been call it.

The 841 will be published after

1.

I just receive today the reception invoice to my last complaint sent to the public attorney
references on my publications




2.
During all this time i did not receive any call back from the PT Comunicações, and this says all about they guilty. This are not only crimes of impeachment and robber, by the contents this point connections with terrorists acts, directly or indirectly and by this reason I demand an intervention of the court.

account in this video with the register of my phone call to them, from more or less 48 minutes on the video a this address


3.
One of the publications that as disappeared during this informatic attacks last weeks, is a link to an Publico newspaper article about what seems to be at first glance a similar crime as they had committed against me last year, the compulsory interment in the psychiatric hospital that after all this time, still without answer from any of the national and European criminal and law authorities. I demand the full respect of my rights and a answer concerning this crime. Stop pretending that this crimes of persecution and torture did not exist!!!

where again the link of a similar, or not, case

http://www.publico.pt/sociedade/noticia/voando-sobre-um-ninho-de-cucos-num-manicomio-de-lisboa-1671926?page=-1#comments

4.
to you my love, a Philip Glass kiss at kiss blog, Aknaten, Nefertiti and hymn 

sexta-feira, dezembro 05, 2014

prove of the register invoice of my crime complaint to the public attorney, PGR

One of the three similar letters received from the finances department about an inexistent auto on a already some years closed company, SIM, or yes, and the prove of the register invoice to the public attorney. we all will see if the absence of answer as always during the years of this crime of the robber of my son, will be again the same, and again they will prove by the silence their criminal and accomplished responsibility. this new attempt of crime is approached in this blog in these links






quarta-feira, dezembro 03, 2014

concerning the crime approached on my video 838 B M 01 12 2014 a new crime attempt trough the Pt state, from the same finances department , a letter to send to the Portuguese public attorney

À Procuradoria-Geral da Republica Portuguesa 
À Exma. senhora procuradora geral
Lisboa, 03 12 2014
Exmª Senhora,
Como certamente é de seu conhecimento, não trago eu respostas desta procuradoria a um conjunto vasto de queixas-crime por mim apresentadas desde longos anos, a começar no tempo do procurador geral Pinto Monteiro, nas quais se inclui num conjunto vastíssimo de distintas tipificações de crimes, como o roubo de meu filho, mas tal criminoso comportamento da procuradoria, não obsta nem altera o facto de que seja esta a instituição certa que deve lidar com as queixas desta natureza por parte dos cidadãos da republica.
Como saberá foi-vos enviada uma queixa-crime, por correio registada com aviso de recepção, referências: registo dos CTT n: RD 2270 1379 9 PT, enviada dia 15 07 2013 do balcão dos CTT da D. Afonso Henriques em Lisboa, e no mesmo dia também copia ao IMTT e a AT, com respectivas referências de envios: À AT, RD 2270 1380 8 PT; Ao IMTT, RD 2270 1381 1 PT.
Esta carta tripla, referencia um conjunto de factos que indicia crimes, nomeadamente; crime de perseguição, e tentativa de roubo no valor aproximado de 4000 euros por parte dos departamentos das finanças de Montalegre e Vila Real, cujos contornos mais amplos, incluíram também por outros factos criminosos à data, a AT e o IMTT, sendo que não tive até esta data nenhum desenvolvimento, a não ser do departamento de finanças de Montalegre que como saberá, na última carta recebida sobre as pretensas e falsas dívidas, me anunciou o encerramento dos fictícios processos, mas ao que parece vem agora reincidir numa variante.
Junto anexo cópias recebidas em triplicado de um processo executivo e de uma tripla aparente ou não, acção de penhora, referências deles; nº proc. executivo,2410201001008129 e APS, 2014 0000004867336 ; 2014 0000004867332 e 2014 0000004867348 
do que aparentemente são tentativas de penhora sobre um veiculo que a sociedade comercial em questão, entretanto encerrada a fazer crer na resposta do mesmo dept. de finanças de Montalegre nunca possuiu, donde, é falsa a possibilidade de lhes fazer retornar qualquer registo de propriedade ou livrete como demandam, na qualidade que na firma exerci, de sócio gerente.
A ser verdade os argumentos jurídicos, poderá este crime visar ainda um outro, o da minha eventual prisão, provavelmente na mesma forma criminosa com que me internaram compulsivamente, crime sobre o qual também apresentei queixa-crime que não obteve resposta até esta data, ou seja, mais um crime de perseguição e constante abuso de poder em total impunidade até ao momento.
Todos os dados, incluindo cópias de todos os documentos trocados com as respectivas repartições de finanças, AT; Vila Real e Montalegre, sobre o primeiro crime, são integrante parte da minha acusação criminal contra José Sócrates, também na qualidade de ex primeiro-ministro que foi enviada ao tribunal criminal europeu. Como saberá, se encontra, ou encontrava publicada nomeadamente no meu blog ourosobreazul. blogspot.pt, na forma de um PDF com a aplicação embebida na própria pagina, à altura da publicação da supra mencionada acusação que tem como data 29 11 2013.
Digo-lhe, que se encontra ou encontrava, pois detectei como o denunciei em forma pública, alterações feitas por programação que obstam, ou obstaram em determinado momento, a leitura completa do documento online, portanto sugiro-lhe que usem os vossos conhecimentos informáticos e apanham também os bandidos que fazem em constância estes crimes, que antes de mais, são de impedimento dos meus direitos, nomeadamente os humanos e os consagrados nas leis portuguesas.
Estes powerpoint estão antes de mais na minha conta da Microsoft, "Cloud", associada pela minha conta de correio eletrónico no hotlook.com, ao meu nome, poderá portanto pedir-lhes os originais e uma peritagem sobre quem cometeu estes crimes.
A produção de prova no documento acima referido, tem como referencias internas do documento, paginas 134 de 202, sub ponto anexos ao 4.2.4., que começa na linha 4895 com o titulo " Prove of crime of conspiracy and persecution and attempt of robber trough the finances of Portuguese state at Montalegre and Vila Real", até pagina 181 de 202, linha 5534.
Existe ainda um ponto anterior no mesmo documento supra mencionado, onde este crime é contextualizado e explicado em seus pormenores. pagina 56 de 202, começando na linha 2007 com o titulo 4.2.4 "Crimes trought finances against me and another of my companies, SIM", e acabando na linha 2105 pagina 59 de 202.
Se os bandidos a AR, que como sabe estão directamente implicados no crime do roubo de meu filho e por mim igualmente acusados no tribunal criminal europeu ainda não tiveram a ousadia de alterar a lei de forma proteger os interesses criminosos, a denúncia de factos de contornos criminais no domínio público, como é o caso de uma publicação num blogue de acesso público e universal como são os meus, é razão suficiente pela lei para que o ministério público proceda a abertura de um inquérito.
Aproveito ainda para lhe informar que sobre este crime específico, se encontrará publicado, se os terroristas não o impedirem, um video com a referência publicado no mesmo blog público, "838 M 01 12 2014 a new crime attemp trougth the Pt state, from the same finances department" e ainda "837 M 29 11 2014 crime complaint against the pt public attorney, AT, and IMTT for crimes of corruption,persecution, abuse of power".
Agradecendo a V. eventual resposta sobre a qual não trago esperança a atender ao histórico da impunidade criminosa reinante nesta corrupta republica, sugeri-lho o que recentemente sugeri ao juiz presidente do tribunal constitucional em depoimento em vídeo publicado no meu espaço público de comunicação, ourosobreazul.blogspot.pt, que os prenda a todos, e depois no final se prenda a si mesmo.


Atenciosamente

Paulo Miguel Forte   

840 M 02 12 2014 Samsung crimes, PS and manbo jambos


839 M 30 11 2014 pt crimes, volcano cabo verde, ps and crimes of adulteration


838 B M 01 12 2014 a new crime attempt trough the Pt state, from the same finances department


837 M 29 11 2014 crime complaint against the pt public attorney, AT, and IMTT for crimes of corruption


832 M 21 11 2014 , again i try to upload this video that the terrorists have been targeting with so care


terça-feira, dezembro 02, 2014

these constant crimes that still going on without and end


17: 25 , i m at Alcantara public library

the video master 832 still cut at the end, as visible even by the absence of the end head where normally the date and total duration is.

they have change my password at the moment that i was uploading a video, the last one to Vimeo.

i still do not have any answer from PT comunicações concerning the crimes at Pt headquarters

they had succeed to robber me the money on my cellular and i suppose by code, i cannot even send a msm

my Samsung still do not work, seems that Samsung do not exist in Portugal, and of course many crimes around this attack

welcome to the Nazis world

quarta-feira, novembro 26, 2014

836 M 26 11 2014 to Curia and to all, the Toten, the butterflys, Mario Soares wing

831 M 20 11 2014 a kiss to hillary , mariana monteiro and others crimeds




because du the constant crimes, these terrorists had aim to robber this video from the pages of my blogs. there is 22:32 pm at lisbon, i upload again the videos after the usual crimes at PT headquarters, and at  lest one of them still cut, as possible to understanding when seeing it.
a link of an apparent similar crime commited against me las years thatstill without any awnser, against another portuguese if true the news in Publico

835 M 25 11 2014 to Curia and to All , the constant persecutory crimes against fundamental human rigths



once again, today, the constant crime of impeachment

I´m at the Pt headquarters and i had try again a few times to upload the videos that are missing on the page and upload two news ones, one concerning a key that is referred on the last video published to curia, the mario soares garden entre campos, house in the forest image, that i suppose this terrorists have already stole meanwhile this criminal pass here, because this drive started to open by the uploader, one time, it start upload, and then the application stop, and this normally says that they still meanwhile

I demand the expedite action of the european criminal court to put a end to this crimes against the fundamental human rights, the right of free speech, the right of complaint and defense

I have try also to upload two new videos and the terrorists succeed this impeachment and the robber of this facts and demonstrations

after many attempts to upload again the 830 and 832, they still not work in the page. put them online!

terça-feira, novembro 25, 2014

a new crime of impeachment

I have again try to upload the two missing videos in the public library of Alcantara, and again the terrorist had succeed to impeach the up load as i will show on a new video, if a still can make an upload in this fascist country in the Nazis hands, where this crimes against the fundamental human rights happen all the days!!!

of course some of the videos, establish some links namely with Durão Barroso and some details on the Asia summit image, by others words, tsunamis matters.  

segunda-feira, novembro 24, 2014

second time that i try to upload this video,832 M 21 11 2014, and the terrorist are impeaching it, i will see next time that i came to this PT headquarters if they succeed more this criminal act

https://www.youtube.com/watch?v=B57M1P_QN8k&feature=youtu.be

834 M 24 11 2014 TO CURIA AND TO ALL, PART 11 , PUBLIC CRIMINAL INQUIRY, THE GA ACRONYM


833 M 23 11 2014 to curia an to all


832 M 21 11 2014



830 M 22 10 2014-2, because as explained the first editing was robbed



crimes of impeachment or worst

just now arriving to PT headquarters, monday at 18:27 pm, i realize that one of the last videos uploaded last friday, that seem worked after publishing it on the pages, do not work, and the youtube says that the upload failed, which is not the case. i will published again if I succeed to upload again, and if the one that i bring in my pen, was been not meanwhile also adulterated

sexta-feira, novembro 21, 2014

many terrorist attacks

today, even they reach, in the underground portages to kaput my PC, and as you can understand one of the videos , the 830 M will be not published today, i suppose, by the fact of the prove in video of the airplane flight out of hours in the sky's of Lisbon, a line strangely reflected on the newspapers, about Putin and the presence of a unidentified object on the space, a kind of joke to veil others realities

832 M 21 11 2014 returning to my comments on my last trip to north and others crimes, national, like drive license and even international ones


831 M 20 11 2014 a kiss to hillary, mariana monteiro and others


829 M 18 11 2014 miguel macedo, secrete services demission and NY, Russia recent lines











as usual, the terrorists are doing a very complex effort of impeachment, among others crimes, they had succeeded that my laptop do not work, through the underground machines, there are two important photos from the book, "chegámos à lua" a line that come from Putin as explained in this video, that links, the name Kerr, a NASA contractor from the Apollo times, Apollo have also some others references on my book of life. this sub line, Putin, Apollo, is important in the context of the NY fall, after many time, apparently I reach to up load the photos